quinta-feira, 18 de junho de 2009

O relógio da vida. (SR)


Autor: Sergio L. M. Rocha (*)
A alegria e o prazer de viver são os ingredientes básicos para uma vida saudável e longeva, apesar de termos a impressão de que, quando passamos dos cinqüenta, o relógio parece estar sempre adiantado.

Há muito deixei de usar relógio, foi como um grito de liberdade da escravidão da preocupação com as horas e minutos.

Descobri que a natureza é suficiente para nos servir de relógio e mais, desenvolvemos uma percepção do tempo que é suficiente, para nos manter alertas, quando temos um horário a cumprir.

Raramente perguntamos que horas são?

Na verdade passamos mais a utilizar o relógio como enfeite, do que propriamente como algo que nos vicia, controla e oprime.

Acreditem, a natureza é o melhor relógio e nos faz ter a impressão de que a vida passa mais devagar, além de nos oferecer muitas outras coisas interessantes que aprendemos a perceber e sentir.

(*) Sergio L. M. Rocha é Administrador de empresas e Consultor.

3 comentários:

Ilza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ilza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ilza disse...

Meu caro, confesso: ainda sou escrava do relógio e não dá para ser diferente, a não ser nos finais de semana, quando tiro o relógio do pulso como quem tira um sapato apertado. ;-)Quero crescer e ser como você!

Beijos,

Ilza